Os tapetes de Vanessa Barragão

Vanessa Barragão, é uma jovem portuguesa designer têxtil, que nasceu e cresceu na cidade de Albufeira, região litoral do país, com isso o mar sempre foi uma vista predominante em sua vida.  Tudo começou ainda em sua infância com suas avós que faziam crochê, e foi se desenvolvendo cada vez mais através do seu curso superior na área da moda. Em seu estágio, em uma tapeçaria artesanal, ela pode ver de perto a quantidade de descartes que são gerados todos os dias. Já no mestrado a artista decidiu explorar todo o processo que envolve o do fio da lã de ovelha, sua fiação, tingimento, até finalmente chegar ao uso.

Através de um mix de técnicas manuais como: bordados, crochê, feltro, tricô, e o macramê, a artista desenvolve suas criações, sempre de forma ecológica, e utilizando resíduos que vem de indústrias de lã. Resíduos estes que passam pelos processos de limpeza, seleção, e armazenamento, para que posteriormente seja possível a reutilização em seus projetos, transformando o que era lixo –  upcycling –  em verdadeiras obras de arte. Seus tapetes e quadros reproduzem corais, algas e outros seres subaquáticos, inserindo neles o conceito contrastante que há entre a vida, retratada pelas mais diversas cores, e a morte, na falta delas (utilizando a cor cru)Sempre propondo uma reflexão cujo objetivo final é aumentar a conscientização sobre as consequências do aquecimento global, poluição, e da extinção nos recifes de corais.  

Não demorou muito para a artista chamar a atenção pelo tamanho e riqueza de detalhes de suas obras. O instagram foi um dos principais percussores para tamanha difusão. Vanessa recebe encomendas de todo o mundo, já participou de feiras do segmento de tapeçaria, exposições de arte, deu entrevistas para revistas internacionais, e segue sendo convidada para expor suas obras em locais públicos. A mais recente e talvez belíssima delas, hoje se encontra de forma permanente no Terminal 2, do o aeroporto de Heathrowem, em Londres. Para esta, foi desenvolvida uma tapeçaria botânica que representa toda a extensão da Terra, através da mistura de cores e texturas, dando ênfase ao clima, riquezas, e características de cada continente. 

Nela é apontado pela artista algumas espécies botânicas e de corais que estão sendo ameaçados pelo aquecimento global. Foram necessárias cerca de 520 horas de trabalho para fazer a peça, que pesa 40 kg, e possui cerca de seis metros, chamando a atenção de todos que passam por ali. 

Hoje seu estúdio está sediado na cidade do Porto, norte do país, onde se localiza o núcleo da indústria têxtil. Ela segue com seus trabalhos inspiradores, na busca de utilizar o design para além da beleza como forma de despertar um olhar mais profundo e consciente dseu público, deixando sua marca no mundo de forma única. Demais né? 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *